ARTIGOS E TEXTOS

O Poderoso Som Do SILÊNCIO

Os Especialistas em comunicação sabem que o melhor jeito de ganhar uma discussão é...

         
         Ficando quieto.

 

 A melhor forma de persuasão é ficar de boca fechada. Isso mesmo.

 Você pode ganhar todas a s discussões se fizer do silêncio um  aliado. Mas não é fácil aceitar o poder do silêncio. Vivemos num mundo cheio de ruídos . Os sons tendem a se sobrepor, falamos todos ao mesmo tempo, uma conversa mais parece uma competição para ver quem fala mais alto... enfim, é uma luta fazer-se ouvir. Barulhos de fundo, desde a música alta do vizinho, até ruídos de aviões rasgando o céu, fazem do silêncio um bem precioso

 A mídia tem sua parcela de culpa. Repare nas novelas: parece que o silêncio significa baixo  índice de audiência. Preste cinco minutos de atenção a um desses programas e tente cronometrar o tempo que os personagens ficam sem falar.

 Pode ter certeza: dificilmente essa contagem vai ultrapassar um minuto. Na vida real gostamos de imitar a ficção. Nossas conversas não dão espaço para pausas. Ninguém tem paciência para esperar.

 Sabe por que o silêncio virou um desafio nos dias de hoje? Porque ninguém quer ouvir.

 Basta que uma pessoa comece a falar para que seja atropelada por outra. Além disso, a obrigação de convencer alguém normalmente desencadeia o nervosismo. Deve ser porque paira no ar um temor de rejeição ou de fracasso. O nível de stress  que ronda a nossa vida faz com que, a última coisa que a gente queira seja se ver diante de alguém que nos olha em silêncio. Um som, seja ele qual for, significa alívio.

 O silêncio age de forma impiedosa nos nossos pensamentos. Se temos dúvidas, a insegurança vem à tona assim que a conversa para. Se sentimos que estamos perdendo uma discussão, os intervalos, por menor que sejam, nos deixam mais suscetíveis. Se estamos mentindo, imediatamente lidamos com o medo de que a verdade venha nos desmascarar. Se soubéssemos usar o silêncio, ele certamente nos ajudaria a lidar com essa ansiedade toda.

 Usaríamos as pausas a nosso favor


(Redação Therap)