SAÚDE

Medicina Chinesa e a Tendinite

Os primeiros registros terapêuticos na China são da dinastia Shang, no ano de 1766 a.C.
tendinite
A Medicina Tradicional Chinesa sustenta que os seus tratamentos sejam elaborados em "pontos" localizados e selecionados ao longo do corpo, incluídos em vários trajetos chamado "meridianos". Estes meridianos estão relacionados aos órgãos internos que, por sua vez, controlam e governam várias funções motoras e emocionais.

No conceito oriental chinês, a tendinite é a obstrução do fluxo energético em alguns canais, o que dificulta a circulação de Qi (energia) e Xue (sangue) da região obstruída. Estes dois são interdependentes, enquanto o Qi movimenta o Xue ao longo do corpo, o Xue, por sua vez, faz a nutrição do Qi. Se o Qi parar, o Xue também irá parar e acarretará uma estagnação, causando sintomas que serão mencionados logo a seguir.

Na Medicina Tradicional Chinesa o Gan (fígado) é um sistema complexo que faz correspondências com as emoções, tecidos corporais, órgão dos sentidos, cor, clima, som, sabor, dentre outros.

O Gan é o responsável pelo funcionamento normal dos tendões, nutrindo-os com o seu Qi e Xue. Quando o Xue do Gan se torna deficiente, os tendões podem ser acometidos de fraqueza, debilidade articular na contração e relaxamento, espasmos ou tremores. Este não seria o caso da tendinite do escalador, porém, a obstrução de uma parte dos canais causada pela escalada, quase sempre compromete a função energética do Gan.

Pelo fato do canal estar obstruído e as funções energéticas do Gan normalizadas, haverá um excesso de energia em outra parte do corpo, mais especificamente no próprio Gan.

Escaladores que apresentam alguma desarmonia no Gan podem apresentar facilmente sintomas como nervosismo, irrequietude, irritação, raiva ou acessos de fúria, estando propensos a desenvolver a tendinite mais rapidamente na prática esportiva.

A invasão de agentes patogênicos externos, como a invasão de vento frio (gripes e resfriados), são chamadas de energias perversas. Invadem o organismo não somente pelas vias orais e nasais, mas também por outras áreas do corpo como, por exemplo, das pontas dos dedos até o cotovelo. O Qi, juntamente com o Xue têm a função de aquecer, umedecer e proteger o corpo contra os agentes patogênicos externos. Desta forma, o escalador que contrair a patologia da tendinite terá uma baixa na defesa energética daquela área, podendo ser invadido pelo vento frio mais facilmente.

O Tratamento Chinês

O tratamento da tendinite na Medicina Tradicional Chinesa consiste, principalmente, na observação minuciosa da localização da dor e de seu respectivo trajeto.

Existem vários métodos terapêuticos para o tratamento da tendinite, como por exemplo: moxabustão, acupuntura e fitoterapia. Estas são estratégias terapêuticas escolhidas através de um diagnóstico preciso e complexo obtido por meio da anamnese.

é importante citar que, após o diagnóstico, se a terapêutica escolhida for a mesma para duas pessoas acometidas pela tendinite, a técnica de conduzi-la possivelmente será diferente, mas em todos os casos, o afastamento temporário das escaladas será obrigatório.

Portanto, qualquer que seja o método de tratamento que essa medicina adote, é preconizado para todos os casos, a seguinte definição - harmonização orgânica através do equilíbrio energético das polaridades Yin Yang.

Para se obter maiores chances percentuais de chegar a esse equilíbrio energético, é importante o tratamento estar aliado a correção dos hábitos alimentares e a horários de sono regulares.

As terapias complementares (alternativas) geralmente são procuradas nos estágios finais da doença, quando o tratamento da medicina ocidental não surtiu efeito.

Segundo os terapeutas, as terapias complementares deveriam ser as primeiras a serem indicadas e não as últimas, podendo haver ótimos resultados sem a agressão do organismo pela ingestão de drogas farmacêuticas.

A busca pelo tratamento da tendinite e de outras patologias através da medicina ocidental ou oriental é freqüente e ambas têm o interesse de proporcionar a cura para qualquer enfermidade, devendo sempre atuar em conjunto. Qualquer tratamento será válido, desde que o profissional tenha domínio das técnicas a serem empregadas e, quando necessário, encaminhar o paciente a um outro profissional que possa oferecer melhor suporte e resultados relevantes. Desta forma, pode-se realmente acreditar que os alívios dos sofrimentos das pessoas e os resultados para se alcançar a cura estão sendo ampliados.

Fonte texto: blogspot.com
(imagem internet)