CURIOSIDADES

Jogo dos Sete Erros

Primeiro erro:
Colocar carnes debaixo da torneira.
Primeiro, você perde nutrientes. A carne fica esbranquiçada.
Segundo: a contaminação que existe vai aumentar, porque aumenta a quantidade de água e as bactérias vão penetrar mais ainda. A única carne que você lava é o peixe e só para tirar escamas e a barrigada.

...............................................................................................................................
Segundo erro:
A quantidade de detergente que costumamos por na esponja para lavar louça é mais um hábito condenado pelo doutor Bactéria.O detergente nunca deve ser colocado direto na esponja. Vai ser muito difícil enxaguar todo esse detergente. O resto de detergente que fica junto com os alimentos pode no futuro dar um problema para a sua saúde.Para limpar sem exagero, você precisa apenas de oito(8) gotas de detergente em uma bacia com um litro de água.
...............................................................................................................................
Terceiro erro:
Nunca usar tábua de carne de madeira.
Na tábua de madeira as bactérias estão te aplaudindo! Tábua sempre de plástico ou de vidro.

...............................................................................................................................
Quarto erro:
Muita gente também evita guardar comida quente na geladeira.
Doutor Bactéria derruba um dos mitos mais difundidos entre as donas de casa...
Doutor Bactéria: O único problema que pode existir é que vai aumentar um pouquinho o consumo de energia, mas não vai estragar a geladeira de modo algum.

...............................................................................................................................
Quinto erro:
Mas nada disso adianta se você guardar na geladeira o recipiente tampado.
O ar frio vai bater na tampa. Vai demorar muito para resfriar. As bactérias vão adorar! Então, coloque tudo destampado.Depois de duas horas é que você vai fechar.

...............................................................................................................................
Quinto erro:
As pessoas pegam a lata de leite condensado e fazem dois buraquinhos minúsculos, um de cada lado. Sai leite condensado por um lado e pelo outro entra uma chuva de bactérias.
Abram a lata inteira.. Use um recipiente que pode ser de plástico ou de vidro e sempre sirvam com uma colherzinha. Depois tampem e guardem em uma geladeira.

...............................................................................................................................
E quando se fala em doce, a gente não pode esquecer as formigas.
Você provavelmente não se importaria se encontrasse uma formiguinha em cima do seu bolo, não é?
Doutor Bactéria: E se fosse uma barata?
Marina Scherb, de 12 anos: Aí eu não como.
Doutor Bactéria: Se a gente pegar uma barata, matar essa barata, deixar no meio da cozinha, no dia seguinte, cadê a barata?
Marina: Sumiu.
Doutor Bactéria: Quem levou?
Marina: As formigas...
Doutor Bactéria: A mesma que estava em cima do bolo?
Marina: é...       (as vezes  chegam tarde...)

...............................................................................................................................
Sexto erro:
Ignorar as formigas.
Doutor Bactéria: As formigas são consideradas até maiores agentes transmissores de bactérias do que a própria barata.
Doce com formiga só pode ter um destino: a lata de lixo.

...............................................................................................................................
Sétimo erro:
Nem na hora dos parabéns o Doutor Bactéria perdoa:
Soprar a velinha é o mau hábito que completa o jogo de sete erros.
Testes comprovam que o bolo fica contaminado por bactérias de saliva.
Esta bactéria produz uma toxina que pode ocasionar aquelas intoxicações com 24 horas de vômito e mal-estar.Por isso, evite deixar o bolo fora da geladeira.Daqui por diante, faça a coisa certa e xô bactéria.

...............................................................................................................................

Texto: Roberto Figueiredo, biomédico (Doutor Bactéria)